Escritório do arquiteto Gustavo Penna é premiado no Architizer A+Awards

WhatsApp Image at Easy Resize com

A GPA&A acaba de ganhar a maior premiação focada em promover e celebrar a melhor arquitetura do ano em importante premiação internacional.

 

O projeto do Carmo Coffees ganhou na categoria Factories & Warehouse e foi escolhido por um júri internacional composto por arquitetos, designers e criativos, que consideraram o design, a função e o impacto do projeto como principais critérios de avaliação. Além da escolha do júri, o projeto foi também submetido a uma votação popular, durante 2 semanas, conquistando milhares de votos e sendo o escolhido dentre outros 4 projetos desta categoria.

Carmo Coffees tem trabalhado com a premissa de que a qualidade vem do nosso respeito e cuidado com toda a cadeia produtiva. A ferramenta mais importante para conseguir isso é a colocação certa para marcar a presença do produto e fazê-lo se tornar um símbolo, algo considerado pelo escritório para elaboração do projeto.

Localizado em área estratégica, à beira da rodovia BR-381, na cidade de Três Corações em Minas Gerais, o local exige uma forma notável. A velocidade da visualização desde a rodovia conduziu à grande horizontal: clareza e força numa forma única. Sobre esta base, imprime-se o objeto de nossa reverência: um escavo, côncavo, translúcido, um grão de café torrado.

 

WhatsApp Image at Easy Resize com

 

Daí essa forma de olhar para dentro, abra no topo como uma claraboia, uma entrada para a luz solar durante o dia e, à noite, a expressão da luz interior. A atmosfera resultante é necessariamente solene, pois talvez seja o único momento em que essas qualidades serão reunidas para demonstrar a importância dessa atitude de afirmação da qualidade do nosso café.

 

WhatsApp Image at Easy Resize com

WhatsApp Image at Easy Resize com

WhatsApp Image at Easy Resize com

 

A entrada se dá por um portal feito de um prato perfurado de feijão da colheita. Em primeiro plano, no chão, há o mapa da região produtora. No lado direito, o café é apresentado como uma mercadoria preciosa em suas diversas etapas de processamento. Acima disso, na parede coberta de juta, estão os nomes das fazendas, os produtores, nossos heróis. Ao fundo, o grão de café translúcido sublimado é a expressão mais simbólica deste ambiente ritualístico.

 

WhatsApp Image at Easy Resize com

fotografo leonardo finotti Easy Resize com

 

De lá, caminha-se à sombra de um túnel semelhante a um museu: a experiência de um caminho que conta a história e leva ao grande armazém, visto de cima. Logo abaixo, na área de micropredo, podemos fazer uma pausa e contemplar o processamento do café. O controle de luz, as imagens e as cores em todo o armazém melhoram essa atmosfera. No segundo andar, a área administrativa é desenvolvida em torno de um grande pátio aberto, trazendo luz e relaxamento ao meio ambiente.

 

fotografo leonardo finotti Easy Resize com

WhatsApp Image at Easy Resize com

 

ep terreogeral Easy Resize com

ep terreo Easy Resize com

ep terreoampliacao Easy Resize com

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: GPA&A
Imagens: Leonardo Finotti

 

 

 

Sesc Avenida Paulista realiza programação integrada à 13ª Bienal Internacional de Arquitetura

bebbf bc e dba Easy Resize com

Ações educativas, visitas mediadas, palestra, performance artística, encontro e conferências são oferecidos ao público como complemento à exposição.

 

A 13ª Bienal Internacional de Arquitetura parte de uma realidade de intensas transformações geradas pela pandemia de COVID-19 em todo o mundo e que exigiu esforços intensos de organização das dinâmicas urbanas, sociais e profissionais pela sobrevivência. A exposição fica em cartaz até 17 de julho de 2022, no 5º andar, do Sesc Avenida Paulista, com uma programação paralela com ações educativas, intervenções artísticas, palestras e conferências.

A exposição Travessias – 13ª Bienal de Arquitetura – realizada pelo IAB-São Paulo, reúne trabalhos de 10 convidados pela curadoria e de 23 selecionados por chamada aberta. Os projetos estão sendo exibido no Sesc Avenida Paulista e no Centro Cultural SP. A 13ª edição tem como eixos norteadores: democracia, corpos, memória, informação e ecologia.

No Sesc Avenida Paulista, são realizadas visitas mediadas com as educadoras no espaço expositivo, o agendamento é pelo portal do Sesc, com datas a partir do dia 14 de junho até 17 de julho de 2022, e acontece de terças a sextas-feiras, às 10h, às 14h e às 19h30, no 5º andar da Unidade. As atividades são gratuitas e abertas ao público.

 

Confira a programação que será realizada no Sesc Avenida Paulista:

Conferência com Kabage Karange (Cave_bureau) – Quênia

A conferência acontece no dia 18 de junho de 2022, sábado, às 16h, aborda os programas de pesquisa e exposição do Cave_bureau – escritório de arquitetura e pesquisa com sede em Nairóbi, Quenia – que se dão sob o que eles chamam de Museu do Antropoceno: arquitetura na era do trauma, resistência e cura.

 

Projetos Culturais Acessíveis

Palestra com Noa Marchese, da La Barca Cultural, acontece dia 30 de junho de 2022, quinta, às 19h, traz como projetos de acessibilidade auxiliam na mudança de paradigma sobre o lugar da pessoa com deficiência na sociedade contemporânea, ao mesmo tempo que são os principais indicativos da evolução do pensamento inclusivo.

 

Partilha Pedagógica: educação como práxis contra-epistemicída

No dia 2 de julho de 2022, sábado, às 14h, acontece o encontro com a educadora, pesquisadora e poeta Janaína Machado. A formação para educadores e professores “Educação como práxis contra-epistemicida” tem por objetivo refletir sobre propostas de educação e ações educativas no contexto da exposição Travessias, tendo como diálogo explícito a aproximação entre conteúdos relacionados às obras e artistas da exposição.

 

Kiua Matamba – “A Força dos Ventos”

A performance com Mona Rikumbi e Adetayo Arie, nasceu durante a pandemia, quando o Brasil contabilizava 100 mil mortos pela Covid-19, e que não imaginávamos que a situação ainda poderia piorar. A apresentação no dia 10 de julho de 2022, domingo, às 16h, dura 35 min, é um olhar lúdico para o fim da pandemia, entendendo a visão de mundo africana como aliada nesta lut

 

Conferência com Taller General (Equador)

Durante a conferência que acontece no dia 17 de julho de 2022, domingo, às 16h, serão desenvolvidos dois temas: a questão de gênero, pois é um ponto de conflito vivenciado dia após dia, em um contexto ultra-hegemônico e patriarcal, como o campo do design e da construção, e o deslocamento e a mobilidade humana enfrentados por milhões de pessoas em trânsito pelos países da América Latina, muitas vezes sem lugar para chegar ou ficar. A atividade será com Taller General um espaço de confluência onde canalizamos a nossa prática por meio do trabalho arquitetônico.

 

 

SERVIÇO

Exposição| 13ª Bienal Internacional de Arquitetura – Travessias
Quando: 27 de maio a 17 de julho de 2022. Terça a sexta, das 10h às 21h30. Sábados, domingos e fEriados, das 10h às 18h30.
Classificação: Livre
Onde: Arte I – 5° andar
Ingressos: Gratuito

Visitas Mediadas| 13ª Bienal Internacional de Arquitetura – Travessias
Quando: 14 de junho até 17 de julho de 22. Terças a sextas-feiras, às 10h, às 14h e às 19h30.
Duração: 60 minutos
Capacidade: 15 participantes por grupo
Agendamento de visitas: https://bit.ly/agendamentosesctravessias
Informações: [email protected]

Conferência| Conferência com Kabage Karange (Cave_bureau) – Quênia
Quando: 18 de junho de 2022. Sábado, das 16h às 18h.
Classificação: Livre
Onde: Praça – térreo
Ingressos: Gratuito – Retirada de ingressos 30 minutos antes

Palestra| Projetos Culturais Acessíveis
Quando: 30 de junho de 2022. Quinta, das 19h às 22h.
Capacidade: 10 pessoas
Classificação: Não recomendado para menores de 18 anos
Onde: ETA – 4º anda
Ingressos: Gratuito

Encontro| Partilha Pedagógica: educação como práxis contra-epistemicída
Quando: 2 de julho de 2022. Sábado, das 14h às 16h.
Classificação: Não recomendado para menores de 18 anos
Onde: ETA – 4º anda
Ingressos: Gratuito – Inscrições online em https://inscricoes.sescsp.org.br/online/#/inscricao

Performance| Kiua Matamba – “A Força dos Ventos”
Quando: 10 de julho de 2022. Domingo, das 16h às 16h40.
Classificação: Livre
Onde: Praça – térreo
Ingressos: Gratuito

Conferência| Conferência com Taller General (Equador)
Quando: 17 de julho de 2022. Domingo, das 16h às 18h.
Classificação: Livre
Onde: Praça – térreo
Ingressos: Gratuito – Retirada de ingressos 30 minutos antes

 


 

SESC AVENIDA PAULISTA

Avenida Paulista, 119, São Paulo
Fone: (11) 3170-0800
Transporte Público: Estação Brigadeiro do Metrô
Horário de funcionamento da unidade:
Terça a sexta, das 10h às 21h30.
Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h30.
Horário de funcionamento da bilheteria:
Terça a sexta, das 10h às 21h30.
Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h30

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imagem: Alisson Sbrana

Projeto VERDE

Imagens SITE Easy Resize com

‘Folhas solares’ forma o conceito por trás de torre de observação sustentável.

 

Guiado por princípios de design sustentável, o escritório de arquitetura indiano Nudes, concebeu uma torre de observação de Net Zero Energy. O conceito, denominado ‘árvore solar’, explora a noção de uma arquitetura modular composta por ‘células’ pré-fabricadas, onde as pessoas podem desfrutar de vistas sobre a paisagem circundante. O projeto caracteriza-se por uma forma cilíndrica e um conjunto de varandas salientes.

O núcleo vertical consiste em uma rampa circular que se conecta a um corredor orbicular, levando a células observatórias individuais. Essas células são giradas e empilhadas para criar uma montagem dinâmica que oferece vistas e experiências variadas em todos os níveis. Cada ‘célula’ modular pré-fabricada consiste em varandas projetadas que permitem aos visitantes sair do interior da torre e absorver a paisagem desprovida de quaisquer barreiras visuais. O Nudes também imaginou que essas células abrigassem ‘folhas solares’ leves, que poderiam contribuir para as necessidades de autossuficiência de energia.

 

arvore solar

 

A ‘árvore’ visa abordar iniciativas de design sustentável orientadas por princípios de design Net Zero para combater as mudanças climáticas. O topo da torre é coberto por um deck e uma cápsula de vidro para todos os climas. O último andar oferece uma vista panorâmica de 360 ​​graus da paisagem deslumbrante.

O projeto é concebido como um conjunto estrutural composto de aço e madeira. Essas células modulares pré-fabricadas podem ser implantadas e erguidas no local. As células são empilhadas verticalmente para criar um sistema estrutural composto em sinergia com o núcleo de aço central que consiste na rampa e nos corredores. Em essência, a ‘árvore’ visa criar uma torre de observação icônica que está em sincronia com a natureza.

 

arvore solar v x

arvore solar

 

arvore solar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: goinggreen
Imagens: Divulgação Nudes

Regina Misk lança linha de luminárias

regina misk Easy Resize com

Linha de luminárias tecida em crochê com cordas de papel craft são ideais para uso em chão ou mesa.

 

Regina Misk, designer autoral especializada em tramas e técnicas têxteis, desenvolveu a linha Papel Torcido, com três tamanhos diferentes de luminárias. As peças são tecidas em crochê com cordas retorcidas de papel Craft e sua estrutura aramada com pintura eletrostática dá a sustentação das tramas, que geram uma luz difusa deliciosa criando um clima de aconchego.

 

regina misk Easy Resize com

 

Cada peça leva em média 25 horas para ser produzida e estão disponíveis em três tamanhos: a grande (47 cm de diâmetro x 63 cm de altura) e a pequena (38 cm de diâmetro x 43 cm de altura) possuem pezinhos aramados que são a extensão da estrutura, já a mimi (25 cm de diâmetro x 25 cm de altura), vem com pés baixinhos arredondados.

Das antigas formas de ofício, Regina, conduz com maestria o trabalho tradicional para o contemporâneo, enaltecendo o fazer manual mineiro através de técnicas de tecelagem como crochê, tricô, e bordado, alinhados a outros materiais como a madeira, por exemplo. Sua linha de produtos vai de banco, poltronas, almofadas, mantas, adornos, esculturas entre tantas outras criações.

 

regina misk Easy Resize com

regina misk Easy Resize com

 

Sobre Regina Misk

A designer, especializada em tramas e técnicas têxteis, é natural de Minas Gerais. Regina Misk produz peças feitas à mão, com um propósito genuinamente brasileiro, desenvolvendo itens cheios de afeto de forma integralmente artesanal: almofadas, cestos, mantas, luminárias, correntes de crochê, banquetas, poltronas e outros produtos. Dentro de seu belíssimo ateliê em uma casa construída na década de 1920, no bairro de Barro Preto, região central de Belo Horizonte, surgem criações que ressignificam antigas formas de ofício e conduzem tradição ao encontro harmonioso com o contemporâneo. O tear, o crochê, o tricô e o bordado ganham nova luz, perpetuando as raízes em frutos únicos.

Ateliê Regina Misk
Tel: 31 98260-7755
@reginamisk
https://reginamisk.com/ 

 

 

 

 

 

Imagens: Divulgação

8º PRÊMIO ABILUX

Imagens SITE Easy Resize com

  As inscrições para o prêmio que celebra o design de luminárias poderão ser feitas até o dia 17 de junho de 2022.

 

Com o objetivo de estimular e promover a indústria nacional de iluminação, por meio da premiação e da divulgação dos produtos vencedores, a ABILUX – Associação Brasileira da Indústria de Iluminação está realizando, a oitava edição do seu Prêmio Design de Luminárias. Além das empresas do setor de iluminação legalmente constituídas no Brasil, o concurso está também aberto à participação dos profissionais autônomos e de áreas afins, como designers.

O Prêmio ABILUX Design de Luminárias será disputado nas Categorias:

Interiores: luminárias de parede; de piso; de mesa; de teto; de aplicação industrial e sistema de iluminação.

Exteriores: luminárias para vias públicas incluindo praças; para jardins; de parede, piso ou solo; projetor e luminária subaquática.

A Cerimônia de divulgação e entrega dos prêmios aos vencedores acontecerá no dia 12 de julho de 2022, às 19h00, na sede da FIESP, em São Paulo (SP). As peças premiadas serão expostas em uma mostra de Design, na EXPOLUX, no Expo Center Norte de 02 a 05 de agosto de 2022, em São Paulo (SP).

 

Júri:

FERNANDO FORTE: Arquiteto e Urbanista pela FAU-USP;

GIORGIO GIORGI JR.: Desenhista industrial graduado pelo Mackenzie, com mestrado em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP;

LAERCIO MARQUES: Designer estratégico e consultor em inovação. Possui graduação em Design de Produtos e MBA em Branding – Gestão de Marcas;

LETÍCIA CASTRO  diretora superintendente do Centro Brasil Design. Graduada em design de produto pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná;

LÚCIA F. DE SOUZA PIRRÓ é graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo, mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo e doutorado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo;

MÔNICA LUZ LOBO: Diretora criativa da LD Studio, arquiteta e urbanista graduada pela Universidade Santa Úrsula, no Rio de Janeiro. Trabalha com iluminação arquitetônica desde 1997, quando fundou o escritório.

RODRIGO BRENNER: Cofundador da multipremiada internacionalmente Furf Design Studio. Brenner também atua na área acadêmica como professor convidado em universidades, além de criar e coordenar cursos no Centro Europeu.

 

INSCRIÇÕES

Primeiro lote: até o dia 03/06/2022
Segundo lote: de 04/06 a 17/06/2022
Regulamento e inscrições acessar: http://luminarias.premioabilux.com.br/

 

DAECABFABEDA

 

Descubra a importância de desenvolver habilidades de gerenciamento de projetos desde a infância

Imagens SITE Easy Resize com

Ricardo Triana, diretor-geral do Project Management Institute para a América Latina, explica quais são os benefícios de incluir essas práticas no desenvolvimento de crianças a partir dos cinco anos de idade.

 

Gerenciar projetos arquitetônicos, pequenos ou grandes, já é algo desafiador em circunstâncias normais. Quando falamos de projetos inovadores ou megaprojetos, o tamanho desse desafio aumenta exponencialmente. Algo visionário, nunca antes realizado, demanda pesquisa extensa e planejamento minucioso. Obras grandiosas, que envolvem um número enorme de pessoas e equipes, requerem excelente comunicação e organização. Se acrescentarmos em meio a isso uma pandemia, quando o trabalho passou a ser remoto em sua maior parte e a humanidade teve de aprender a viver constantemente com o medo, incertezas e sofrimentos, esse desafio parece impossível de ser realizado.

Desde então, tivemos de aprender novas formas de gerenciar projetos. Mas não foi só isso o que mudou. Para que possamos criar transformações profundas a partir de tudo o que temos vivido, precisamos começar a enxergar o trabalho de outra forma também. É necessário que sejamos mais do que bons profissionais técnicos. Temos de refletir sobre o legado que nosso trabalho deixará e tornar projetos de impacto social uma prioridade estratégica, uma forma de espalhar o bem. É isso o que podemos ver na lista dos 50 Projetos Mais Influentes de 2021, publicada anualmente pelo Project Management Institute (PMI). A partir das cinco obras de arquitetura contempladas, podemos refletir sobre como a arquitetura e o gerenciamento de projetos podem e devem ser usados como catalisadores de ações sociais e culturais que vão deixar uma herança para a sociedade.

A primeira dessas obras é a de reconstrução do complexo da mesquita Al-Nouri, em Mossul, Iraque, que existia há quase 850 anos e foi destruído em 2017 pelo grupo extremista Estado islâmico (EI). Muito mais do que construções, os prédios que compunham o complexo eram símbolos de identidade e resiliência para os iraquianos. Reconstruí-los, além do esforço técnico, a cargo de um comitê que inclui especialistas em engenharia, restauração, arquitetura, paisagismo e arqueologia, tem exigido sensibilidade e diálogo entre a UNESCO, responsável por gerenciar o projeto, e a população local, que terá na reconstrução a oportunidade de promover reconexão com a própria identidade, cultura e história.

Já a Expo 2020 Dubai, como está sendo chamada a mais recente edição das já tradicionais World Expos, reúne pela primeira vez na história do evento mais de 190 países, cada um com seu pavilhão próprio, que, somados entre si e aos pavilhões centrais do evento, resultam em mais de 200 prédios conectados por linhas próprias de transporte público e rodovias que ligam os diferentes espaços, distribuídos em uma área de 4.400 quilômetros quadrados. Um imenso desafio de gerenciamento de projetos, com o objetivo de promover um grande encontro cultural: nesses espaços, cada nação mostra o que há de mais importante em sua cultura e história, e exibe, por meio das construções dessas áreas, as últimas novidades da tecnologia e inovação, conectando passado, presente e futuro em um único evento. E, para além dessa reunião cultural onde os visitantes terão a oportunidade inédita de conhecer, em um único lugar, os destaques de cada um desses países, ao longo das 10 semanas de evento também estão sendo realizados painéis para discutir e encontrar propostas de solução e inovação para os assuntos de grande urgência para a humanidade, uma forma de deixar um patrimônio para a sociedade, mesmo após o término da Expo 2020.

Em outro continente, no projeto do Museu Edo de Arte da África Ocidental, tudo começou pela escavação, ou seja, pelo resgate da história do povo nigeriano, que ficou soterrada nas ruínas da antiga capital do Reino de Benin. Apesar de o início da obra ter como foco recuperar objetos que ajudem a contar essa história, o propósito do projeto é humanizar a arte africana e mostrar como o passado tem impacto no presente. Para conseguir isso, utiliza-se da arqueologia para resgatar elementos históricos que serão restaurados e incorporados na arquitetura do museu, criando muito mais do que um espaço, um local onde pessoas poderão conhecer e apreciar uma cultura antiga que esteve escondida durante tanto tempo.

Criar um prédio com design inovador, futurista, onde serão realizadas exposições e outros eventos com um propósito bem definido: encontrar soluções para problemas atuais como forma de desenhar o futuro – essa é a proposta do Museu do Futuro, em Dubai. Por meio das diversas inovações aplicadas no projeto e na construção, como um modelo de energia 3D que exigiu mais de 50 soluções de design sustentáveis – entre elas, arquitetura solar passiva e tecnologias de reúso de água e energia, mostra-se que o futuro começa a ser definido agora, pelas ações que todos nós decidimos pôr em prática com pensamentos que vão além do momento presente.

Por último e certamente não menos importante, gostaria de destacar o projeto Thinking Huts, de uma jovem de apenas 21 anos que tem o propósito de transformar a realidade de crianças, aumentando o acesso delas à educação. Maggie Grout pretende criar escolas de baixo custo e tempo de construção por meio da impressão 3D em concreto, algo até o momento inédito no mundo. A unidade-piloto está sendo feita em Madagascar e utilizará material local como forma de reduzir o custo e a pegada de carbono, assim como mão de obra da região, tornando o projeto socialmente sustentável também.

Entre todos os projetos mencionados acima, podemos perceber a importância da tecnologia e inovação para torná-los realidade. Segundo o relatório Global Megatrends 2022 do PMI, a disruptura digital é uma das tendências para este ano – não há quase nenhum campo de esforço que esteja livre do constante impulso da mudança tecnológica.

A transformação digital estava em curso antes do advento da pandemia da Covid-19, com muitas organizações a redefinirem os seus principais modelos de negócio para ganharem vantagem competitiva num mercado de produtos e ideias em constante mudança. Nesse período, a transformação se tornou agora uma atividade normal e necessária.

Nesse período, tivemos muitos aprendizados do ponto de vista técnico-profissional, sem dúvida. No entanto ouso dizer que os aprendizados mais importantes que tiramos são os humanos, que, espero, levaremos para sempre conosco e colocaremos em prática em todos os âmbitos da vida.

 

Sobre o PMI

O Project Management Institute (PMI) é a principal associação do mundo para os profissionais que consideram o gerenciamento de projetos, programas e portfólios a sua profissão. Por meio da defesa de direitos, colaboração, educação e pesquisa globais, o PMI trabalha para preparar mais de três milhões de profissionais em todo o mundo para a The Project Economy: a economia do futuro, em que o trabalho e as pessoas são organizados em torno de projetos, produtos, programas e fluxos de valor. Com um histórico de 50 anos, o PMI trabalha em quase todos os países do mundo para promover carreiras, melhorar o sucesso empresarial e amadurecer ainda mais a profissão de gerenciamento de projetos com padrões reconhecidos globalmente, certificações, comunidades, recursos, ferramentas, pesquisa acadêmica, publicações, cursos de desenvolvimento profissional e oportunidades de networking. Como parte da família PMI, o site interativo ProjectManagement.com® cria comunidades globais online que oferecem mais recursos, ferramentas melhores, redes maiores e perspectivas mais amplas.

Acesse www.pmi.orgwww.projectmanagement.com, www.facebook.com/PMInstitute e @PMInstitute no Twitter.

 

 

Studio Forma e Pedro Mendes conquistam espaço no design brasileiro

mesaCora Easy Resize com

Valorizando a decoração de interiores em projetos residenciais  e corporativos.

 

A Studio Forma empresa renomada no mercado pela qualidade de suas produções e criações para o design brasileiro, une-se ao designer Pedro Mendes, reconhecido por seu estilo atemporal. Dessa parceria, surgiu a coleção que leva seu nome e conta com produtos como mesa de centro, mesa lateral, luminária, entre outros.

O design nacional é muito vasto, composto por inúmeros segmentos e vertentes. Pedro Mendes acredita que o país nunca valorizou tanto as peças assinadas como atualmente. Os consumidores têm procurado bastante por peças autorais com originalidade, qualidade, beleza, função e custo benefício em meio à diversas opções.

Foi pensando neste cenário do mercado e, também, nas opções de ponta de material que a Studio Forma oferece, como o aço inox, o aço carbono, o mármore, o vidro, o MDF e as lâminas de madeira, que o designer iniciou o processo criativo. Seguindo seus instintos, pegou a caneta e desenhou até transformar mais um sonho em realidade.

”No meu processo criativo não penso, sigo um instinto, pego a caneta e rabisco muito até ver uma forma que se transforma em alguma coisa que pode ser o que nem estava pensando, então não pensei simplesmente criei. O fator decisivo sempre é a vontade de transformar o sonho em realidade e a parceria com a Studio Forma tornou isto possível.” – Pedro Mendes

A coleção conta com doze peças e destaca-se as luminárias em reedições. Todos os produtos contam com curvas geométricas, orgânicas e retas com tubos de aço e acabamento dos pés em ponteira de latão, cobre ou madeira, tudo para transmitir uma leveza poucas vezes vista em móveis grandes. Abaixo, destaque para a Luminária Ana, em madeira ebanizada.

Luminaria Ana Pedro Mendes Easy Resize com

Como sempre, ao criar, Pedro leva em consideração o uso de matéria prima reciclável, ecologicamente correta, o ponto chave de cada ideia. Além disso, apesar de reconhecer que o clássico alavancou o design brasileiro, desta vez, optou por não trabalhar com formas tradicionais, já conhecidas. Trouxe linhas e traços originais, minimalistas e cheios de vida.

“Apostei em uma criação diferente e moderna produzida com um material de altíssima qualidade, e, como sempre, ecologicamente correto. É importante também citar que, ao criar, sempre penso no consumidor final, ou seja, quero desenvolver peças bonitas, criativas, com qualidade e que todos consigam comprar”, ressalta Mendes. Abaixo, Mesa lateral e Aparador Cloe.

Mesa lateral Cloe Pedro Mendes Easy Resize com

Aparador Cloe Pedro Mendes Copia Easy Resize com

Então, como sempre seus desenhos em 3D ganharam vida.  A liberdade da geometria abstrata veio à tona. O artista deixou fluir as formas muito bem organizadas e amarradas entre si, o que resultou em móveis leves de formas simples e materiais esguios que, com a ajuda de toda equipe Studio Forma, foi concretizada. A coleção carrega o conceito de construir objetos que tenham alma e identidade, tanto por parte de Pedro Mendes, o designer, como a equipe da Studio Forma. Vale a pena conferir todas as peças, que além de beleza e conforto, destacam-se pela qualidade e esmero de cada detalhe.

 

Sobre o Studio Forma

Reconhecida há 23 anos pela qualidade da produção dos modelos originais do design internacional, o Studio Forma preza por respeitar a alma das criações originais e, além disso, está sempre de olho do mercado brasileiro, buscando parcerias para lançar novos produtos e novas coleções. Pode-se citar exemplos de parcerias internacionais como, Decoma Design e Simone Micheli Architectural Hero e, as parcerias nacionais com a Nó Design, Ovo André Cruz, Pablo Casas e agora, com Pedro Mendes, entre outras. Sem deixar de lado o toque artesanal, a marca mesmo com a modernização de equipamentos e os processos de fabricação, conta com uma enorme bagagem quando se trata de metais, desde a técnica de curvar de tubos e maciços de aço inox até o acabamento em polimento, pintura e tapeçaria.

 

Sobre Pedro Mendes

Natural de São José do Rio Preto, o designer cresceu em meio ao polo moveleiro e foi assim que conheceu de perto a produção e execução da indústria de móveis. Desde o começo de sua carreira desenha e renderiza em 3D, peças sofisticadas com formas limpas. Hoje, se dedica aos móveis, criação e fabricação de luminárias, projetos para arquitetura de interiores e consultoria em design para segmentos industriais. Estas características o consagraram um dos mais criativos e inovadores designers do mercado e, já vendeu suas peças em diversos países como América do Sul, América Central, América do Norte, África e Europa.

 

Studio Forma 

Avenida Carlos Caldeira Filho, 1631,Vila Andrade, SP,SP.
@studioforma.moveis
www.studioforma.ind.br

Fundação Bienal de São Paulo realiza segundo encontro do programa Pavilhão aberto 2022

FBSP FBSP LF Easy Resize com

Próximo evento acontece no sábado 11 de junho com palestra, visita e oficina; todas as atividades são gratuitas.

 

A Fundação Bienal de São Paulo convida novamente a população da cidade, em especial os frequentadores do Parque Ibirapuera, a conhecer o Pavilhão Ciccillo Matarazzo de outra maneira: no sábado 11 de junho acontece o segundo encontro do ano do programa Pavilhão aberto.

O programa do dia começa às 11h com a conversa Urbanidades possíveis – reinterpretar a cidade exposta, com Louise Lenate Ferreira da Silva, pesquisadora e co-curadora da 13ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo. A arquiteta discorre sobre a escolha e a concepção de espaços para eventos expositivos como as Bienais de artes e de arquitetura em São Paulo, discutindo as possibilidades de usufruir da cidade e mediar as diversas interpretações entre habitantes e o espaço construído.

Às 14ho público pode participar de uma visita mediada ao Pavilhão, feita junto à equipe da Bienal, em uma conversa sobre preservação cultural e arquitetônica. Além de uma breve apresentação sobre a história do edifício e sobre alguns de seus usos pela Fundação Bienal, a visita propõe uma troca sobre as Bienais de Arquitetura, evento que surgiu dentro da Bienal de São Paulo e que foi realizado no Pavilhão da Bienal até 2009, em diálogo com o tema da atual 13ª Bienal de Arquitetura, “Travessias”.

Logo após a visita guiada, será realizada, às 15h, uma programação especial para crianças de 6 a 12 anos, acompanhadas de seus adultos: a Oficina de dança free step,com o grupo Crossover. free step é uma dança urbana de movimentos livres com as pernas e com os braços sob as batidas da música eletrônica. O estilo baseia-se em movimentos elaborados e rápidos, trazendo também a mistura de outras danças. O grupo Crossover atua há 12 anos organizando encontros livres no Parque Ibirapuera para a difusão da arte da dança.

Além das atividades com inscrições gratuitas, o Pavilhão estará aberto o dia inteiro para visitação livre (última entrada às 17h30). QR Codes foram distribuídos pelas colunas do local para que as pessoas possam acessar informações históricas e curiosidades, enquanto passeiam pelo prédio.

 

Sobre o Pavilhão aberto 2022

A segunda edição do programa Pavilhão aberto acontece de maio a novembro e é composta por conversas com convidados de perfis diversos (os nomes envolvem desde o professor de arquitetura Guilherme Wisnik até o Padre Júlio Lancellotti), oficinas para crianças, visitas mediadas ao Pavilhão e conteúdos digitais complementares.

Este ano, o programa trata de questões relacionadas à preservação, modernização e usos contemporâneos do patrimônio histórico e arquitetônico do Pavilhão. Serão seis encontros divididos em dois programas com enfoques complementares. O primeiro, que acontece de maio a julho, parte do Pavilhão da Bienalpara abordar conflitos contemporâneos. O segundo, que vai de setembro a novembro, busca discutir como o espaço determina experiências estéticas e sociais, e como artistas contribuem para imaginar diferentes usos para ele.

No encontro de julho, que acontece no sábado 16/07, o Pavilhão recebe o padre Júlio Lancellotti e a artista Carmela Gross. A primeira edição do Pavilhão aberto aconteceu entre setembro de 2019 e janeiro de 2020, e reuniu ações com os arquitetos Álvaro Razuk, Anna Helena Villela, Lúcio Gomes Machado e o curador Rodrigo Queiroz.

 

FBSP FBSP LF Easy Resize com
Visitação durante o evento Pavilhão aberto 2022 © Levi Fanan / Fundação Bienal de São Paulo

 

Serviço – Programa Pavilhão aberto 2022

Encontro 2: Urbanidade possíveis
11 de junho de 2022, sábado
10h – 18h: visitação livre
Não é necessário se inscrever; última entrada às 17h30
11h: conversa com Louise Lenate Ferreira da Silva: Urbanidades possíveis – reinterpretar a cidade exposta
Inscrições gratuitas aqui
14h: visita mediada ao Pavilhão, com equipe da Bienal
Inscrições gratuitas aqui
15h: oficina de dança free step para crianças com o grupo Crossover
Faixa etária recomendada: de 6 a 12 anos
Inscrições gratuitas aqui
Participação mediante acompanhamento de adulto responsável

 

Inspiração neoclássica!

WhatsApp Image at Easy Resize com

Projeto de casa em Santa Catarina reúne elementos inusitados e une elegância com modernidade.

 

A união do clássico com o moderno é a marca registrada do projeto da arquiteta Jackeline Tomaz, em Passo de Torres, Santa Catarina. A casa de 440 m² fica à beira mar, reunindo elementos despojados com inspiração na vida litorânea, sem deixar conforto, elegância e sofisticação de lado.

Com cinco suítes, lounge, varandas, sala de estar, jantar, cozinha gourmet, lavabo, rouparia, lavanderia, despensa e abrigo para carros, a residência do casal com um filho pequeno se destaca pelas grandes colunas que emolduram a porta social e pelo emprego de materiais nobres, com tonalidades neutras.

 

WhatsApp Image at Easy Resize com

WhatsApp Image at Easy Resize com

 

“A ideia inicial foi desafiadora – quando os clientes trouxeram as referências neoclássicas em uma casa de praia. A primeira impressão foi de que o estilo não caberia para uma casa à beira mar para um casal tão jovem, mas conseguimos costurar os conceitos e compor um projeto contemporâneo com produtos escolhidos a dedo, que se integraram perfeitamente a paisagem” – Jackeline Tomaz, arquiteta.

Na área social, ambientes integrados dão destaque total a lareira suspensa e a escada em curva. O revestimento Coral Marble nas paredes, da Portinari, traz uma paleta delicada, inspirada em um mármore rosado extraído do Caribe. O porcelanato Lumina, também da marca, finaliza a atmosfera clássica no piso, reproduzindo mármores clássicos, na versão polida, que ganha mais brilho, profundidade, nitidez e resistência com o uso da tecnologia Techcristal.

Com o pé direito duplo no estar, elevado na cozinha gourmet e a integração planejada, boa parte dos cômodos (jantar, cozinha gourmet e sala de estar) se abrem para a área de lazer, trazendo amplitude ao projeto.

 

WhatsApp Image at Easy Resize com

 

WhatsApp Image at Easy Resize com

 

As áreas externas que precisam de mais praticidade, como garagem, depósito, lavanderia, sacadas e varandas, receberam nos pisos o revestimento Lumina Carrara, com acabamento natural para garantir segurança, sem deixar o requinte de lado. Nas paredes, o produto Portinari escolhido pela arquiteta foi a Sensorial Matte. O sopro criativo desta coleção induz ao visual e ao toque, trazendo modernidade com desenhos gráficos tridimensionais e relevos imponentes. Além de cores terrosas que remetem à areia da praia da cidade.

A piscina, com curvas e borda infinita, dá um show à parte na área externa, finalizando a arquitetura limpa e de curvas orgânicas.

 

WhatsApp Image at Easy Resize com

 

 

 

 

 

 

 

 

Imagens: Ricardo Ourique