Emotivo e VIBRANTE

ZA SouthVilla Int nv HR Easy Resize com

SAOTA, ARRCC e OKHA combinam luxo com maturidade e sofisticação neste projeto de design contemporâneo.

 

South Villa é uma cobertura de cinco andares nos premiados apartamentos Clifton Terraces em Victoria Road, Cidade do Cabo. Sua posição elevada sobre a icônica Cabeça de Leão tem vistas extravagantes do oceano e pontos turísticos locais, como Table Mountain e as praias intocadas de Clifton. O edifício, com 8240 m2 de área total, projetado pelo escritório SAOTA, imita os contornos existentes na paisagem ao seu redor, garantindo sensivelmente que as vistas dos locais vizinhos não fossem afetadas por sua construção.

Saliências profundas e a paleta natural de materiais se misturam ao ambiente, enquanto terraços paisagísticos em cada nível garantem que o edifício se instale organicamente com seu entorno. A decoração interior e arquitetura de interiores, da ARRCC e da OKHA, tem conexões estilísticas com o estilo modernista do período Art Deco dos anos 1920 e 30. Entrando em Clifton Terraces através de sua área de recepção revestida de pedra, um elevador privado sobe seis níveis até a cobertura e abre para um corredor com um painel completo de mármore Fantasy antes de chegar ao saguão privado da cobertura. 

 

foto Easy Resize com

foto Easy Resize com

foto Easy Resize com

 

Cada apartamento une tecnologia, funcionalidade e segurança, repletos de sofisticação. Através do sistema de automação residencial perfeitamente integrado, quase qualquer aspecto do South Villa pode ser controlado remotamente e personalizado, incluindo o elevador, piscina e Wi-Fi. Há uma ampla gama de móveis OKHA projetados sob medida em áreas-chave em todo o ambiente, enfatizando o poder da forma, massa e materialidade. “Não querendo superpovoar um espaço, aumentamos a escala das poucas peças selecionadas dentro dos cômodos, dando a cada forma amplo espaço para se comunicar”, diz Adam Court, diretor e designer da OKHA. A área de convivência, por sua vez, abre em um terraço de 150 m² que possui uma piscina aquecida retangular elevada, com vista de 360 graus durante todo o ano de Clifton e Table Mountain. 

 

foto Easy Resize com

 

A cobertura funciona como uma galeria de arte privada, com curadoria da OKHA em colaboração com o cliente e apresenta obras de galerias como SMAC, What If the World e Southern Guild. Entre os artistas em destaque estão nomes como Chris Soal, Galia Gluckman, Michele Mathison, Alexandra Karakashian, Mongezi Ncaphayi, Pierre Vermeulen, Chuma Maweni e Atang Tshikare.

A tensão emotiva entre cores, materiais, tato, formas e espaços simbioticamente contribuem para a narrativa geral do design. O detalhamento clássico da parede ganhou vida com uma paleta de cor contemporânea introduzindo cinzas mal-humorados e acabamentos texturizados, somados à uma camada provocativa de acentos de carvalho e latão.

 

foto Easy Resize com

 

O caráter dos móveis não é alcançado através da ornamentação, mas de acordo com os princípios do modernismo do estilo, utilizando uma articulação clara, com escala desempenhando um papel importante. A mesa de jantar Morpheus em forma de trapezoide duplo com base em tubos de aço é um destaque à parte.

 

foto Easy Resize com

 

ARRCC usou um clássico painel de parede com costelas em um rico verde escuro no quarto principal que, juntamente com piso de madeira, ecoam os pinheiros do Cabo que emolduram as janelas voltadas para a Baía de Camps. A cama personalizada com cabeceira multi painéis em Carvalho e cana francesa, e a poltrona larga e baixa em rico veludo verde foram feitos sob medida pela OKHA. No banheiro principal da suíte, espelhos de bronze de cana francesa e carvalho são combinados com lajes de parede a parede em mármore Bianco Carrara.

 

ZA SouthVilla Int nv HR Easy Resize com

ZA SouthVilla Int nv HR Easy Resize com

ZA SouthVilla Int nv HR Easy Resize com

ZA SouthVilla Int nv HR Easy Resize com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por: Redação
Imagens: Adam Letch e Niel Vosloo

TERRA: Abraçando a Comunidade e a Conexão

Imagens SITE T Easy Resize com

A Sherwin-Williams se concentra no equilíbrio e na renovação de espaços residenciais e comerciais através das tendências apontadas no estudo de cores.

 

 

A Sherwin-Williams, apresenta o Colormix® Tendência de Cores 2023: TERRA, uma coleção de tons que envolve regeneração, criatividade, cuidado, conexão e alegria. A previsão anual com 40 cores abrange paletas com curadoria inspiradas na conexão natural das pessoas e seus espaços.

“Estamos intencionalmente em uma jornada que nos permite experimentar cores bonitas e vivas à medida que evoluímos”, explica Patrícia Fecci, gerente de marketing para serviços de Cor & Design da Sherwin-Williams. “Nossa conexão com a Terra, melhores lembranças e futuras esperanças é o que influencia a nossa perspectiva global para os próximos meses. Essas inspirações afetam nossos espaços comerciais tanto quanto nossas casas. Abraçar a ideia de TERRA no design, oferece uma nova maneira de viver que será definida pelo equilíbrio, presença, apoio e a alegria duradoura do que nos espera”, traduz Patrícia.

A equipe de profissionais de Previsão Global de cores da Sherwin-Williams, liderada por Sue Wadden, diretora de marketing de cores da Sherwin-Williams, conduz uma extensa pesquisa a cada ano, e se reúnem em um workshop intensivo para estruturar a previsão de cores, e preparar o cenário do próximo ano. Todos os tópicos de influências são considerados – da mudança climática à saúde mental – e temas emergentes que devem impactar o mercado são cuidadosamente traduzidos em cores e paletas coesas.

A coleção Colormix de 2023 apresenta ricos tons da terra, argilas naturais, areias de dunas queimadas, neutros repousantes e tons pastel acinzentados.

 

Terra – Colormix® Tendência de Cores 2023

São 40 tons definidos em quatro paletas: Bioma, Saberes, Essencial e Origem.

 

Bioma

Com base nos componentes de um ecossistema em constante transformação, a paleta Bioma exalta as semelhanças entre uma Terra abundante e a busca pelo equilíbrio. Esta paleta encontra sua inspiração na biofilia, minimalismo orgânico e na simbiose. A naturalidade do Jangada de Bambu SW 7501 complementa a serenidade do Bronze Conectado SW 7048, entre outras combinações tranquilas e sofisticadas.

eb aa d ecf Easy Resize com

 

Saberes

A paleta Saberes inspira-se no conhecimento que atravessa séculos e culturas. Os tons dessa paleta nos convidam à reconexão com uma intrínseca mistura de vermelhos argilosos, tons pastel acinzentados e tons inspiradores de joias preciosas. Enquanto Flor de Malva SW 0062 sussurra uma beleza sutil, o Pavão Misterioso SW 0064 induz a uma atitude ousada.

d a d adfaad Easy Resize com

 

Essencial

Lugares escondidos geralmente podem ser os mais terapêuticos e a paleta Essencial nos ajuda a encontrar esse reino de energia restauradora. Marrons terrosos e brancos de alma suave complementam a paleta de tons quentes e que exalam amor e bondade. Influenciado por rituais diários de bem-estar, as cores de Essencial remetem a argilas naturais e areias de dunas queimadas pelo sol, como o Pavê de Chocolate SW 6053 e a Areia Fofa SW 6058, ressaltando a calmaria e quietude.

abdadb aa a af bfcddd Easy Resize com

 

Origem

Para traçar um caminho pela selvagem e maravilhosa paisagem de nossas vidas, a paleta Origem coloca em camadas nossas primeiras memórias e futuras esperanças, criando vibrações positivas e alegrias para o momento presente. Tons como Uva Exuberante SW 6293, Apimentado SW 6615 e Canarinho SW 6905 são magnéticos e de espírito livre.

Origem Easy Resize com

 

Conheça em detalhes o Colormix 2023

Todas as 40 cores da previsão estão disponíveis nas lojas Sherwin-Williams em todo o país.A marca também disponibiliza o ColorSnap Visualizer, aplicativo de paleta de cores, que possibilita relacionar as cores das fotos contidas no celular e fazer combinações com as cores da Sherwin-Williams, além de possibilitar enxergá-las através de simulações em ambientes. A ferramenta é gratuita, intuitiva e está disponível para Android e iOS.

Para mais informações acesse o site: www.sherwin-williams.com.br

Redes sociais:
www.facebook.com.br/sherwinwilliamsbrasil
www.instagram.com/sherwinwilliamsbr
br.pinterest.com/swbrasil

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Sherwin-Williams
Imagens: Divulgação

MODERNOS ETERNOS BH 2022

Imagens SITE Easy Resize com

Em sua sétima edição, a mostra ocupará nove andares do prédio do P7 Criativo, de 21 de junho a 7 de julho.

 

Belo Horizonte é lugar de cultura efervescente, berço de criadores de diversas áreas, e obra de arte de outros tantos. Primeira cidade moderna planejada no Brasil, foi fundada em 1897 e, desde então, acumula uma paisagem urbana singular capaz de contar a passagem da história por meio da Arquitetura. Eclético, art déco, neogótico, neoclássico, modernista, pós-modernista, os estilos se completam pelas ruas e vão muito além de nomes bastante conhecidos como o Conjunto Moderno da Pampulha.

O Modernos Eternos apoia e quer fazer parte da requalificação econômica do coração de Belo Horizonte, o hipercentro que reúne parte do patrimônio histórico, arquitetônico e cultural da cidade. E foi pensando nisso que escolheu-se um espaço especial para erguer morada nesta 7ª edição: o prédio do P7 Criativo, um dos marcos da arquitetura moderna, com projeto desenvolvido por Oscar Niemeyer, localizado na Praça 7, ponto de convergência das principais avenidas da capital. Um local cheio de histórias, que vamos contar ao longo deste 2022. O P7 Criativo é a 1ª agência de desenvolvimento criativo do Brasil, gerida pela Federação das Indústrias de Minas Gerais – FIEMG, com a missão de conectar empresas e talentos para gerar negócios inovadores, sustentáveis e transformar a economia de Minas Gerais.

De 21 de junho a 7 de julho, a mostra vai levar ao emblemático endereço o melhor da decoração, em seus pilares de mix&match de peças vintage e contemporâneas, com muita arte e equilíbrio. Em 9 andares do P7, 39 ambientes assinados por 44 profissionais consagrados e jovens talentos e mais de 70 parceiros, entre fornecedores e apoiadores. Como já virou tradição, os eventos paralelos continuam, com a Ação Street – este ano homenageando o nosso copo lagoinha – e as atividades e ações de cultura, moda, história, entretenimento e claro, gastronomia, comandada pelo Chef Leonardo Paixão pelo 5º ano consecutivo.

Cada Modernos Eternos é única e pensada para contar uma nova história a cada detalhe. Histórias de artistas, arquitetos, decoradores, designers, personalidades. Histórias de prédios, volumes, cores, materiais. Histórias que inspiram, projetam e formam a nossa cultura. A 7ª edição da Modernos Eternos tem o patrocínio da Gerdau, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais e conta também com o Patrocínio da Prefeitura de Belo Horizonte por meio da Belotur.

 

Praça Sete

Um dos espaços mais movimentados de Belo Horizonte, a Praça Sete foi desenhada pelo urbanista Aarão Reis no fim do século XIX, no cruzamento entre as principais avenidas da cidade: Afonso Pena e Amazonas. O nome original era Praça Doze de Outubro – em homenagem à provável data da descoberta da América por Cristóvão Colombo – mas ela foi rebatizada, em 1922, para Praça Sete de Setembro, em função das comemorações do centenário da Independência do Brasil.

Também nesse ano, foi lançada a pedra fundamental para a construção do monumento conhecido como Pirulito e que foi inaugurado dois anos depois, em 7 de setembro de 1924. A obra foi uma doação da cidade de Betim, com desenho do arquiteto Antônio Rego e construção do engenheiro Antônio Gonçalves Gravatá. O obelisco de 13,57 metros de altura, composto por 28 peças de cantaria, ficou em seu lugar até 1962, quando o então prefeito Amintas de Barros o substituiu por outro monumento, executado por H. Leão Veloso, com o busto de importantes personalidades da nova capital: Aarão Reis, Afonso Pena, Augusto de Lima e Bias Fortes. A homenagem ao quarteto ilustre ficou no local de 1963 a 1970, e depois foi levada para o Parque
Municipal Américo René Giannetti.

O Pirulito, enquanto isso, foi instalado na Praça Diogo de Vasconcelos, na Savassi, em 1963, e só retornou a seu lugar de origem em 1980, depois de grande mobilização e reivindicação popular. E em 1994, o Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município de Belo Horizonte tomba o conjunto urbano da Avenida Afonso Pena, incluindo a Praça Sete e o Obelisco.

Além de sua importância na circulação dos belo-horizontinos, a Praça Sete também é endereço de edifícios importantes para a história da capital mineira. Entre eles, está o Cine Theatro Brasil, que foi inaugurado em 1932, como o primeiro prédio da cidade projetado sob a influência do estilo Art Déco. O estilo arquitetônico abriu caminho para várias outras edificações nas décadas seguintes, o que fez de BH uma das cidades brasileiras referência no Art Déco.

 

Um marco do Modernismo

Outro importante movimento estético-cultural pelo qual a cidade é muito conhecida, o Modernismo também é presente na Praça Sete, com o prédio do antigo Banco Mineiro de Produção, que depois ficou conhecido como o prédio do Bemge e, em breve, será o polo da economia criativa de Minas Gerais, com a inauguração da sede do P7 Criativo. O edifício foi projetado em 1953 por Oscar Niemeyer e marca o início da arquitetura moderna em arranha-céus na capital mineira.

Com 25 andares e mais de 14 mil metros quadrados de área construída, o prédio representou uma revolução quando foi construído, pelo contraste com a arquitetura muito tradicional dos seus vizinhos de Praça Sete, e também seu grande porte e desenho inovador. Em 2016, o edifício foi tombado como patrimônio arquitetônico, pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – IEPHA/MG.

Desde que foi inaugurado, a primeira grande reforma na construção só ocorreu 50 anos depois, em 1998, quando o estado de conservação foi considerado muito crítico, com o revestimento original bem deteriorado, esquadrias em estado precário e necessitando de limpeza geral. Recentemente, o prédio passou por uma nova restauração completa para abrigar o P7 Criativo.

Quem passa na rua já pode perceber a grande mudança, com brisesoleils novamente pintados de branco, e as vidraças e painéis de tijolos de vidro renovados. Do lado de dentro, foi feita uma recuperação do revestimento em pedra lioz nas paredes da recepção e no hall dos elevadores, e os tacos de madeira peroba originais foram cuidadosamente removidos e restaurados, um a um, para serem reinstalados no terceiro andar. O cuidado da reforma foi tão grande que, para os banheiros, foi necessário encomendar a uma fábrica de azulejos a produção do revestimento branco no tamanho 15 x 15 centímetros, como usado na construção original, e que não mais são encontrados à venda no mercado.

 

SERVIÇO

MODERNOS ETERNOS 2022
De 21 de junho a 07 de julho
Horários: Terça a sexta, 15h às 22h; Sábado, 13h às 22h e Domingo, 13h às 19h
Edifício P7 Criativo: Rua Rio de Janeiro, 471 – Centro (Praça Sete)
Ingressos: modernoseternosbh.byinti.com/
Informações: modernoseternosbh.com/edicao-2022/ e (31) 97244-2727
Instagram: @modernoseternosbh

ACESSO AO EVENTO
Recomendamos uso de táxi ou aplicativos
Estacionamentos conveniados (valor R$15 – solicite o voucher na bilheteria do evento):
Amazon Park: Av. Amazonas 510
Estacione 1: entrada pelas ruas Espírito Santo 625, Carijós 151 e Bahia 600
Manobrista (valor R$25, pagamento via cartão ou pix): embarque e desembarque na R. Tupinambás 443,
esquina com R. Rio de Janeiro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Texto e imagem: Divulgação Modernos Eternos BH 2022

Contemplando uma nova era

Foto Easy Resize com

Edifício foi elaborado para ser um oásis à comunidade local, liderado por pesquisas e inovação, no coração de um novo distrito cultural.

 

A House of Wisdom – uma biblioteca icônica e centro cultural em Sharjah, Emirados Árabes Unidos – foi aberta ao público. Foco central das comemorações da Capital Mundial do Livro da UNESCO 2019, o projeto busca ser o catalisador para um novo bairro cultural na cidade. Localizada há dez quilômetros do centro, a construção de dois pavimentos, elaborada pelo escritório Foster + Partners, incorpora uma sensação de clareza e leveza, com um grande telhado flutuante cantilevering que permeia todos os lados do volume retilíneo transparente, sombreando suas fachadas.

Por todo o edifício de 13.000 m2, a ênfase foi estabelecer e reter uma conexão com o exterior, propiciando vistas para os jardins em torno do edifício. A paisagem é dividida em duas seções, contemplando um parque infantil ao sul, com várias espécies nativas e espelhos d’água, ao lado de um mais formal, geometricamente arranjado. Telas móveis de bambu foram implantadas ao longo de todas as fechadas para fornecer privacidade e controlar a luminosidade solar. Quando não em uso podem ser mantidas abertas, preservando as conexões visuais com o paisagismo.

 

Foto Easy Resize com

FP Easy Resize com

 

O térreo contém grandes espaços para exposições, um café ao lado de um espaço educacional infantil, o arquivo e uma área de leitura com instalações altamente tecnológicas, como uma Máquina de Livros Expresso que imprime livros sob demanda. O local foi dividido em zonas experienciais e funcionais, que proporcionam interação com o usuário, integrando salas de leitura, espaços expositivos e área educacional infantil. A experiência digital se integra perfeitamente com o físico, dando vida à biblioteca. Os visitantes podem interagir e acessar todo o conteúdo e todos os serviços diretamente através de seus smartphones, propondo uma tecnologia escalável centrada no ser humano.

 

“A Casa da Sabedoria em Sharjah é uma concepção prospectiva do que uma biblioteca deve ser no século 21, que abraça um futuro digital enquanto estabelece um papel crucial como um centro comunitário de aprendizagem, sustentado pela inovação e tecnologia.” – Gerard Evenden, Foster + Partners

 

As linhas retas e minimalistas do edifício complementam as dunas do deserto, situadas dentro de uma exuberante paisagem. A saliência de 15 metros de largura sombreia as fachadas ao longo da maior parte do dia, enquanto telas de alumínio fixas com densidades diferentes filtram o sol baixo à noite.

Os visitantes entram no prédio a partir de sua borda oeste em um centro de recepção de duas alturas com um pátio central que traz luz para os espaços interiores. Esta área verde densamente plantada cria uma confortável área externa ambiente para eventos sociais ou contemplação tranquila. 

 

Foto Easy Resize com

FP Easy Resize com

 

Os dois núcleos mais próximos da entrada contém grandes escadas esculturais que guiam as pessoas até o mezanino. O andar superior abriga uma série de espaços silenciosos e colaborativos, áreas de exposição e salas de leitura, incluindo uma sala de oração e uma área só para mulheres. Área de estar, com cadeiras Solus e lâmpada FLO.

 

Foto Easy Resize com

Foto Easy Resize com

Foto Easy Resize com

 

No jardim norte repousa O Pergaminho, obra do escultor britânico Gerry Judah, uma interpretação contemporânea dos antigos pergaminhos árabes em espiral apontando para o céu.

Telas de bambu móvel foram implantadas para fornecer privacidade ou controlar o brilho.

 

Foto Easy Resize com

Foto Easy Resize com

 

 

 

 

 

 

 

Por Redação
Imagens: Chris Goldstraw

Ressignificando os espaços!

rpbw vac moscou Easy Resize com

O centro cultural GES 2, da Fundação V-A-C, pretende oferecer uma experiência sociocultural completa em torno das artes visuais, artes cênicas, música, ciência e sustentabilidade.

 

Ao pensar que tipo de edifício seria perfeito para criar um espaço cultural contemporâneo, uma usina elétrica vem à mente imediatamente! Foi o que o escritório italiano Renzo Piano Building Workshop encontrou em Moscou: uma magnífica e histórica central de energia construída entre 1904 e 1908. Assim, o projeto GES-2 transforma este edifício em um espaço que proporciona uma experiência harmoniosa das artes visuais às performativas, passando por um espaço livre destinado a pessoas.

Dentro do prédio de aproximadamente 20.000 m², os espaços e funções são organizados em quatro núcleos principais: O Cívico consiste em uma combinação de espaços públicos e está aberto para a praça externa que capta a vida das ruas para dentro do complexo. No centro, a “praça interna” atua como a entrada e o início da experiência V-A-C. Ligados a esta praça, encontram-se a Biblioteca e o espaço multimídia e, no lado oposto, encontra-se um espaço de instalações de arte e um restaurante. O espaço de boas-vindas está localizado no centro do edifício principal e é acessado pela “praça interna”. Este espaço contém várias atividades informais, como bilheteria, balcão de informações e lojas na parte térrea.

 

rpbw vac ges Easy Resize com

rpbw vac moscou Easy Resize com

rpbw vac moscou Easy Resize com

rpbw vac ges Easy Resize com

 

O projeto é norteado por dois conceitos principais: o primeiro consiste na ideia de construir um espaço onde os visitantes se sintam guiados por sua própria intuição. Assim, ao entrar e chegar no espaço que recebe os visitantes, basta virar os olhos para a direita e para a esquerda, para cima e para baixo para perceber tudo o que o edifício oferece, para onde ir e como ir. Idealmente, eles não precisam de nenhuma orientação para visitar o centro. O segundo se refere à estratégia de circulação utilizada: a “teia de circulação”. Aqui, a ideia é criar uma teia fluida e visível, uma peça coesa concebida como uma espécie de escultura espacial, composta por escadas, elevadores, corredores, átrios e plataformas, conectando entre si todos os espaços e atividades, além de destacar as entradas de Bolotnaya nab e da ponte de pedestres.

Uma área de deck aberta para performances dá vista para a “floresta” e situa-se um auditório fechado com acesso independente. Esta área também inclui um café com lanchonete em um mezanino. O pólo de exposições recebe todas as exposições. É uma combinação de espaços de diferentes tamanhos e alturas que oferece uma variedade de condições espaciais para acolher qualquer tipo de obra de arte. O Pólo de Educação tem relação com esses espaços de exposições, pois a Escola de Arte é dedicada a criar uma nova geração de curadores, críticos e historiadores de arte; e, também situada nesse núcleo, a área Aprendizagem ao Longo da Vida tem salas de aula e oficinas voltadas para o público em geral. Sem mencionar as residências de artistas, com ateliers localizados na torre norte.

 

rpbw vac moscou Easy Resize com

rpbw vac moscou Easy Resize com

 

O projeto de restauro substituiu as quatro chaminés de tijolo presentes no local por chaminés de aço. Graças a uma abordagem sustentável e consciente, essa troca transforma as antigas chaminés em quatro dispositivos sustentáveis que captam o ar mais limpo a uma altitude de 70 metros, ativa a ventilação natural e reduz o consumo de energia. A natureza também faz parte do projeto. De fato, uma “floresta” foi plantada dentro do museu. Assim, na parte oeste do local, um jardim de esculturas se transforma progressivamente em um local com centenas de árvores.

 

rpbw vac moscou Easy Resize com

rpbw vac moscou Easy Resize com

 

ges section view Easy Resize com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Renzo Piano Building Workshop

Imagens: Michel Denancé

 

A importância da tecnologia e sua evolução na Arquitetura, Engenharia e Construção

gjZEmYlpjciSbvNmLvRWYjJXZtVWYzFYAWYjFGZlJnOxYDNIDOYDMxozZlBnaucbslDNhJTNygjYYjZEWYhFNYTNATMQWOYTMEzMGJTJEzMGJTJITMMjRyUCNAjMxVLETLfpDN Easy Resize com

Ferramentas digitais e softwares são imprescindíveis para planejamento e concepção de projetos na construção civil.

 

A tecnologia está presente em praticamente todos os segmentos de mercado atualmente e, sua transformação constante, coloca todos esses mercados em uma corrida frenética para acompanhá-la. Na Arquitetura, Engenharia e Construção (AEC), por exemplo, a tecnologia se faz cada vez mais evidente, com ferramentas e softwares que auxiliam os profissionais da área em seu dia a dia de trabalho. Mas, qual é o impacto da tecnologia nessas verticais?

Atualmente, os setores de Arquitetura, Engenharia e Construção (AEC) representam parte importante da economia brasileira, como aponta o relatório do IBGE de junho de 2021, no qual a indústria de Construção Civil, por exemplo, superou a alta do PIB nacional (1,2%) no 1º trimestre do ano anterior, e registrou 2,1% de aumento em relação ao 4º trimestre de 2020.

O uso de ferramentas digitais e softwares em programas de Arquitetura, Engenharia e Construção oferece inúmeros benefícios aos profissionais destes segmentos, uma vez que auxiliam desde o planejamento até a concepção de um projeto. A redução de custos é uma das vantagens, visto que o uso de tecnologias possibilita a previsão de riscos e erros, e previne, ainda, potenciais acidentes. Dessa forma, não há gastos desnecessários e as empresas podem acompanhar os custos em tempo real, garantindo maior controle de suas despesas.

Além disso, há uma otimização do tempo de trabalho e consequente aumento de produtividade nas companhias de AEC. A modernização no desenvolvimento de um projeto permite a entrega de uma quantidade mais consolidada, completa e consistente de dados aos clientes, os quais não são baseados em cálculos humanos, mas, sim, em ferramentas e softwares eficientes e precisos.

 

Compartilhamento de informações em tempo real

A tecnologia neste meio permite um processo de criação de modelos virtuais com informações técnicas de edificação, no qual diversos profissionais podem colaborar durante o planejamento, viabilidade, execução e operação de um projeto. Neste processo, todos os dados podem ser compartilhados em uma plataforma na nuvem, onde há a garantia de segurança das informações e ampliação na capacidade de armazenamento.

Além disso, graças às ferramentas de armazenamento e compartilhamento de dados, por exemplo, as empresas de AEC podem acessar diariamente seus relatórios, de forma segura e prática, a fim de sanar dúvidas, entender melhor a fase do projeto e qual é sua previsão de término. Por meio do monitoramento de atividades, é possível também mensurar resultados, compreender os pontos de melhoria e obter uma tomada de decisão mais embasada e precisa.

 

Importância da tecnologia para AEC x exigências do mercado

É uma tendência do mercado que todos os softwares, aplicações e tecnologias sejam atualizadas constantemente. Ou seja, uma companhia que não esteja disposta a acompanhar a modernização proposta pelo mercado, provavelmente não conseguirá mais trabalhar ou desenvolver um projeto de uma forma adequada após um tempo, uma vez que as próprias capacidades computacionais das máquinas são atualizadas regularmente e exigem ferramentas e softwares modernos.

No entanto ao optar pela implementação de novos softwares ou utilização de ferramentas digitais, é preciso contar com profissionais certificados na área. Durante todo o processo, é imprescindível ter o apoio de uma consultoria que entenda a importância da tecnologia para AEC e preste um serviço desde o momento da pré-venda, até o suporte após a finalização da implementação dos novos softwares. Desta forma, a empresa se sentirá mais segura e apta para competir com os níveis de exigências tecnológicas do mercado de Arquitetura, Engenharia e Construção.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por Jussiane Félix – Solution Sale Specialist da SoftwareONE.

Imagem: Ilustrativa

Para reconectar

Easy Resize com

Projeto visa o uso consciente de materiais, propondo uma atmosfera rústica e integrada à natureza ao seu redor.

 

A Villa Sapê, pousada de 700 m2 localizada próximo à Praia da Lagoinha, litoral norte de São Paulo, foi idealizada para favorecer a integração entre as áreas externa e interna, buscando-se valorizar a experiência humana ao ar livre, em meio à natureza. Conforme o arquiteto Cezar Scarpato, o projeto prioriza soluções e técnicas comprometidas com o conceito Sustentabilidade, com baixo impacto ambiental. Resultado: uma pousada com características rústicas, aconchegante, cheia de brasilidades.

A área de lazer é, claro, um de seus melhores atrativos. Visando o uso racional da madeira (certificada ou decorrente de reaproveitamento), os perfis tiveram suas dimensões estruturais mínimas e foram posicionados para, além do efeito estético, promover a menor periodicidade possível de manutenção. No quesito eficiência energética, utilizou-se um sistema para captação da água de chuva, com seu armazenamento para uso em jardins e vasos sanitários.

 

Easy Resize com

Easy Resize com

 

“Todo o projeto prioriza soluções técnicas sustentáveis e de baixo impacto ambiental, que resultaram em uma pousada rústica e aconchegante. Para homenagear nossa cultura e toda a riqueza de nossa terra, destacamos os materiais naturais, que aparecem tanto nos mobiliários como nos elementos decorativos. A paleta de cores claras faz o espaço bem iluminado e refrescante” – Cezar Scarpato

O uso consciente de materiais construtivos também foi proeminente, operando condutas sustentáveis: vários materiais aparentes e brutos, como o concreto sem reboco, por exemplo; parte das paredes de blocos cerâmicos rebocados apenas por fora (para proteção a intempéries), piso de cimento queimado, revestimentos de parede somente em áreas úmidas. Aliás, cem por cento dos materiais utilizados na obra foram adquiridos na própria região e a mão-de-obra local.

Por ser uma região com forte incidência solar e de ventos marítimos, o projeto buscou aproveitar ao máximo a luz natural e ventilação cruzada, promovendo, assim, expressivo conforto térmico. Em seu processo construtivo, a obra contou com baixa geração de resíduos e boa parte do design de interiores, artesanal, foi confeccionado com madeiras reminiscentes da obra e de demolição.

A pousada foi projetada como um recanto para relaxar e se reconectar com a natureza, com implantação de áreas de lazer com proveito visual da diversidade natural do local. De acordo com o arquiteto, o aproveitamento inteligente de elementos já existentes no entorno foi uma estratégia que reduziu o uso e descarte de materiais. 

Visando o uso consciente da madeira, os perfis tiveram as mínimas dimensões estruturais necessárias e foram posicionados para o maior efeito estético e menor periodicidade de manutenção.

 

Easy Resize com

 

 

São três pequenas edificações que se distribuem pelo terreno, com temáticas que exploram elementos históricos e geográficos da região. A pousada tornou-se um exemplo de arquitetura tipicamente brasileira que alia o design contemporâneo à sustentabilidade, com técnicas de eficiência energética, aproveitamento de materiais e reuso de água da chuva.

Estrutura em concreto aparente, fechamento em blocos cerâmicos, cobertura de madeira e telhas cerâmicas, decoração artesanal com fibras naturais: sistema construtivo tradicional aliado a técnicas que promovem a  Sustentabilidade, destacando-se mínima geração de resíduos e eficiência energética e hídrica (com reaproveitamento de água de chuva, metais sanitários de baixa vazão, iluminação de baixo consumo e energia solar). No paisagismo, noventa por cento das espécies são nativas, sem necessidade de irrigação automatizada. Um dos destaques é a piscina com borda infinita que se alinha ao mar.

 

Easy Resize com

Easy Resize com

Foto Easy Resize com

 

São quatorze suítes com design contemporâneo, que une o rústico ao luxo, propiciando aconchego aos interiores. Os quartos priorizam materiais naturais e contam com pouco mobiliário, buscando-se acolhedora simplicidade. Não há excesso, valorizou-se a essência. 

O projeto foi pensado para que aproveitasse o máximo de luz natural e houvesse fácil circulação do ar graças à ventilação cruzada. Procurou-se deixar os materiais aparentes e brutos, sugerindo uma simplicidade acolhedora.

 

Easy Resize com

Easy Resize com

Easy Resize com

sape Easy Resize com

 

 

 

 

 

 

 

Por Redação
Imagens:  Bicubico

LEGADO VERDE – um portal dedicado ao paisagismo!

Imagens SITE Easy Resize com

Conheça o primeiro portal dedicado à flora nativa brasileira para profissionais do paisagismo

 

Com a carência em encontrar espécies nativas brasileiras no mercado, o paisagista e artista plástico Roberto Carneiro criou o portal Legado Verde, que tem como objetivo incentivar a produção e a utilização de plantas nativas no paisagismo, bem como difundir a conscientização de exploração sustentável e a preservação dos ricos biomas brasileiros.

Nos anos 1930, o paisagista e artista plástico Roberto Burle Marx revolucionou a estética paisagística com o uso de plantas brasileiras em seus projetos. De lá pra cá, pouca coisa mudou com relação às plantas. Segundo dados do programa Reflora/Flora do Brasil 2020, são reconhecidas quase 50 mil espécies na flora brasileira, das quais 35,5 mil podem ser usadas no paisagismo. No atual cenário, conforme amostragem do botânico e paisagista Ricardo Cardim, estima-se que mais de 90% das plantas comercializadas no paisagismo brasileiro são exóticas, ou seja, de origem estrangeira.

 

Me impressiono com a enorme quantidade de árvores, palmeiras, arbustos e forrações exóticas plantadas em todos os lugares. É preciso virar a chave e começarmos a tratar a nossa biodiversidade com mais consideração e respeito” – Roberto Carneiro.

 

O portal é ilustrado com informações sobre a flora brasileira, fotos de exemplares nativos do Brasil, projetos de paisagismo, além de um blog, que traz temas relevantes abordados pelo Legado Verde e por seus colaboradores. Conta também com um diferencial importante na área para assinantes: ferramentas exclusivas para facilitar a vida de profissionais do setor na busca por produtores/viveiristas e fornecedores de produtos/serviços voltados ao paisagismo.

Em Projetos, aberto a não-assinantes, encontram-se sugestões de utilização da vegetação nativa em áreas diversas. No blog, também aberto a todos os usuários, há conteúdos de interesse geral, como Astrologia no Paisagismo e Frutos Nativos do Bioma Brasileiro. “”É fundamental informar, divulgar, difundir este conhecimento para o maior número de pessoas. Os usuários, clientes e profissionais precisam ter acesso a essas possibilidades. Somente assim será possível ocorrer mudanças na cultura do paisagismo“, diz Roberto.

 

A área do assinante é voltada aos paisagistas, produtores e fornecedores que terão acesso a conteúdos exclusivos. A assinatura anual custa R$ 90,00 (para paisagistas) e R$ 120,00 (para produtores e fornecedores).  Colaboradores convidados e estudantes de paisagismo terão acesso grátis, desde que o cadastro seja aprovado. Ao assinar o portal Legado Verde, os usuários contribuem para o plantio de uma muda de árvore nativa em área de restauração florestal e vão receber um certificado de participação no projeto. Trata-se de uma parceria com a Moetá – Consultoria em Cultura Ecológica.

 

Logomarca LV Easy Resize com

 

Veja como funciona a rede de conexão do Legado Verde

Na área do assinante, paisagistas encontram produtores da espécie nativa que necessita para o seu projeto através de um campo de busca. Basta informar o nome científico ou popular da planta. Já em fornecedores, encontram produtos e serviços, distribuídos em mais de trinta categorias, que vão de implantação a manejo, de revestimentos a iluminação, além dos mais variados insumos.

Os produtores/viveiristas terão acesso a um banco de dados, com mais de 1.000 espécies nativas cadastradas para criar uma lista das plantas que comercializa. É através desta lista que os paisagistas terão acesso aos seus dados de contato. Eles também têm acesso à página de fornecedores, onde poderão encontrar produtos/serviços para expandir o seu negócio.

Para fornecedores, o portal disponibiliza mais de trinta categorias para cadastrarem seus produtos/serviços e divulgarem o seu negócio. O Legado Verde estará com a área do assinante aberta, até 20 de fevereiro, para que paisagistas, produtores e fornecedores experimentem as ferramentas do portal.

Portal https://legadoverde.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imagens: Divulgação Legado Verde